sexta-feira, 20 de junho de 2014

Evento na USP discutiu Educação Aberta, Sociedade e Tecnologia



Assista ao video integral do evento aqui

Algumas imagens do evento aqui

Site do evento

Cenário
As tecnologias de informação e telecomunicações têm alterado o modo de vida das pessoas e criado novos costumes e facilidades que estão resolvendo muitos dos problemas do dia a dia, mas têm trazido em seu bojo novos problemas como os ligados à segurança das pessoas e negócios, à privacidade, à propriedade intelectual etc. O Centro de Estudos Sociedade e Tecnologia (CEST) foi criado na Universidade de São Paulo em Dezembro de 2013 a partir de doações da Microsoft para discutir essas questões complexas e propiciar encontros, envolvendo os desenvolvedores, os pesquisadores, a sociedade e o governo de forma a estruturar essas e outras questões importantes e gerar respostas ou propostas adequadas, pavimentando o caminho para soluções que passem pelos costumes, pelas normas ou pelas aplicações desenvolvidas. Alguns conceitos transversais a todos esses temas como as aplicações em educação online, moedas criativas, Internet das Coisas etc. são, todos, temas com potencial de serem problemas ou soluções de grande abrangência e complexidade além de serem, também, de interesse geral do corpo social.
Objetivos e participantes
O CEST esta iniciando suas atividades em um evento que congrega a academia internacional e outros agentes envolvidos na educação aberta considerado tema chave para os avanços societários, tanto em termos de desenvolvimento econômico quanto de inclusão social.
O evento visa:
·         Lançar o projeto eMundus (www.emundus-project.eu) no Brasil, compartilhando desde o início os planos do Projeto com a comunidade de Educação Aberta do Brasil.
·         Discutir o estado da arte da Educação Aberta no Brasil em termos de políticas, práticas e desenvolvimento inovador.
·         Dar início à preparação de um artigo que representa a posição brasileira na Educação Aberta internacional e nos debates sobre Recursos Educacionais Abertos que é adotado pelo eMundus.
Tomando parte no evento, especialistas brasileiros de REA (Recursos Educacionais Abertos), assim como uma equipe de pesquisadores do projeto eMundus, financiado pela Comunidade Europeia em seu programa Erasmus Mundus que congrega pesquisadores numa rede internacional representativa das diversas regiões do mundo. Através do projeto eMundus haverá a participação dos parceiros: MENON Network (Bélgica), Universidad Autonoma Metropolitana (México) , OER Foundation (New Zealand).
Como resultado desse evento inicial, serão gerados artigos de posicionamento e abertas linhas de discussão em fóruns com a participação internacional.

Agenda

Quinta-feira, 15 de maio de 2014

8.00:      Registro e Café da Manhã

9.00:      Boas-vindas e Abertura dos Trabalhos, Jose Roberto Piqueira, Diretor da Escola Politécnica da USP
Apresentação do Seminário, Edison Spina, USP
                Apresentação do projeto eMundus, Fabio Nascimbeni, MENON, Bélgica
               
09.30:    Painel: Educacao Aberta na América Latina  (Moderação: Romero Tori)
-          Mapeamento de iniciativas REA no Brasil e na América Latina, Tel Amiel e Everton Alvarenga (uma parceria da Open Knowledge Brasil, Unicamp e Insituto Educadigital)
-          Recursos educacionais abertos no Brasil: o campo, os recursos e sua apropriação em sala de aula, Jamila Venturini, Programa Catalisador da Wikimedia no Brasil.
-          Política pública de educação para REA no Brasil, Débora Sebriam e Priscila Gonsales - Instituto Educadigital
-      Recursos abertos em formato de games e gamificação de recursos abertos.  Paula Carolei. UNIFESP

11.00:  Coffee Break

11.30:  A Experiência da Escola do Futuro da USP, Fredric Litto (fundador da Escola do Futuro e Presidente da ABED), 

12.30:    Almoço

14.00:    Painel: Barreiras e Soluções para Adoção de Educação Aberta (moderacao: Priscila Gonsales)
-          Plataformas de recursos abertos Teresa Cristina Jordão,   Tic Educa  (a confirmar) 
-          Openness as a Tool, Xavier Ochoa, Escuela Superior Politécnica del Litoral, Equador
-          Open Education developments in Mexico. Celso Garrido, UAM, México.

16.00:    Coffee break

16.30:    Keynote speeches (videoconference):
-          Iniciativas de Educação Aberta e política pública nos vários países,  Carolina Rossini - Public Knowledge
-          Issues at stake for OER and Open Education,  Wayne Mackintosh OER Foundation, New Zealand
-          Questões e discussões

18.00:   Lançamento do Centro de Estudos Sociedade e Tecnologia e do Projeto eMundus
-              Edison Spina
-              Luiz Natal Rossi
-              Maristela Bassos
-              Paulo Roberto Feldmann
-              Fabio Nascimbeni

Sexta-feira, 16 de maio de 2014
8.00:      Café da Manhã

9.00:  Keynote Speeches      
        
- A Educação Aberta na Europa e no Brasil: perspectivas políticas e práticas  (Open Education in Europe and Brazil: political and practical perspectives), Andreia Inamorato, IPTS, European Commission (videoconference)

- MOOCs: de onde viemos e para onde estamos caminhando, João Mattar -  PUC-SP e Universidade Anhembi Morumbi


10.00: Painel dos “Experts”:  Perspectivas para a Educação Aberta (moderação:  Romero Tori)

- A Educação Aberta na perspectiva da  ABED  - Stavros P. Xanthopoylos,  FGV, ABED

- A Educação Aberta na perspectiva da  Veduca  Carlos Souza, Veduca

- A Educação Aberta na perspectiva da Akatu Silvia Sá, Akatu

11.00:    Coffee Break

11:30 - 12:30   Conclusões e próximos passos
-          A perspectiva Acadêmica:  Romero Tori
-          A perspectiva  eMundus: Fabio Nascimbeni
-          A perspectiva CEST: Edison Spina

12.30:    Encerramento do evento público

14:00 - 18:00 Reunião do Projeto eMundus (PMB - Project Meeting Board Meeting)
               
           




quinta-feira, 12 de junho de 2014

Os Limites do Virtual na Educação Real



Link para Video da Palestra
Link para Entrevista após a palestra

Grupo "Educação sem Distância" no Facebook: 

Recentemente apresentei uma palestra no Senaed 2014 e uma versão expandida na USP, cujo título é o mesmo deste post.  Dada a receptividade, interesse e repercussão dessa discussão, que está longe de chegar a uma conclusão, publico aqui o video da palestra, referências e informações adicionais sobre o assunto "virtualização da educação". Conto também com sua participação, caro leitor. Envie seus comentários, questões e contribuições.

A virtualização das mídias é fato inexorável. Filmes fotográficos , CDs, DVDs já se encaminham para acompanhar os discos de vinil nas mãos de saudosistas e colecionadores ou em acervos  de museus.  Até mesmo os livros impressos, que muitos consideravam, e alguns ainda consideram, insubstituíveis perdem espaço para a digitalização. As salas de aula também se virtualizam e novos paradigmas, como MOOC, SPOC, sala de aula invertida, conectivismo e blended learning, disputam espaço com a lousa, o giz e até mesmo com o PowerPoint e datashow . As tecnologias interativas, com destaque para os games, a realidade virtual e a realidade aumentada, passam a fazer parte da caixa de ferramentas de professores preocupados em não se distanciar dos alunos das gerações interativas.  Mas quais seriam os limites do virtual na educação ?  Para começar precisamos discutir, afinal, o que é o virtual ? Quais seriam os principais paradigmas tecnológicos com potencial de impactar a educação nos próximos anos e analisaremos os limites dessa virtualização. Será que qualquer conhecimento pode ser ensinado e aprendido por meios virtuais ?  

Ao final da palestra concluo que não há limites para o virtual na educação, mas há obstáculos. Alguns desses obstáculos são listados a seguir.

Desafios tecnológicos:
        Inteligência Artificial (IA)
        ergonomia e conforto
        qualidade da informação
        personalização
        humanização
        sentimento de comunidade

Desafios metodológicos:
       conteúdos
       atenção & foco
       mediação
       avaliação
       modelos pedagógicos
       capacitação docente
       motivação & engajamento do aluno

=====
Referências: 
     Pierre Lévy. O que é o Virtual ?
     Tori, Romero. Educação sem Distância.
     Sutherland, Ivan. The Ultimate Display
     Oculus VR
     Virtuix Omni